quinta-feira, 7 de Abril de 2011

andorinhão-preto - história real



Acontecem-me coisas incríveis.


Há muitos anos, ia eu muito calmamente numa rua de Leiria e pumba, cai-me qualquer coisa em cima. Não foi lixo, o que também já me aconteceu. Caiu-me um pássaro em cima. Tal e qual.

Que lindo passarão. Pu-lo no chão mas não voou. Parecia bébé e então levei-o para casa. Não sabia o que era nem o que lhe dar de comer. Parecia uma andorinha mas desequilibrava-se facilmente pois tinha umas asas enormes em relação ao corpo (como se pode ver na 1ª fotografia). Depois de muitas tentativas para o alimentar ou ele se alimentar sozinho, com pão, moscas, ração, formigas... comecei a desesperar pois o pássaro abria muito o bico mas não engolia nada. E aqui faço um parêntisis para dizer que se calhar anos mais tarde talvez eu soubesse alimentá-lo, com uma caninha, mas as pessoas da cidade, que era e é o meu caso, não percebem nada disso.


Perguntei a várias pessoas se sabia o que comiam estes pássaros, mas ninguém me soube dizer. Depois de muito questionar fiquei a saber que era um andorinhão e costumavam andar perto do castelo e da Sé. Incapaz de tomar conta do andorinhão, do alimentar ou fazer levantar voo, ao fim de 1 ou 2 dias resolvi colocá-lo entre a Sé e o Castelo. Talvez a mãe ainda o procurasse, o ouvisse e tratasse dele... Não sei como terminou esta história mas espero que tenha acabado bem.

Esta foi uma tentativa gorada. Outras houve em que consegui ajudar o bébé animal. Pois, é verdade, passo a vida levar com pássaros na cabeça.

As imagens foram "emprestadas" do blog "O Biologo Amador", se por acaso não as conseguirem visualizar aconselho a ir ao blog acima indicado.

3 comentários:

  1. Olá, boa noite! É engraçado que agora há coisa de umas 3 semanas eu encontrei um pássaro destes no passeio. ainda era bebé! Nem sequer tinha os olhinhos abertos, mas quando eu olhei para as patinhas dele, por parecerem umas garras, pensei que fosse um falcão bebé! Claro que pedi logo ajuda aos bombeiros para saber onde deveria entregar o passarinho! Tomei conta dele durante o resto da tarde e a noite, até ao outro dia de manhã! Uma veterinária disse para eu lhe dar papinha cerelac com uma seringa! Foi o que fiz e o bicho até se consolou a comer! No dia seguinte entreguei-o à protecção do ambiente e foi quando fiquei a saber que afinal tratava-se de um andorinhão!
    Ontem, o meu marido encontrou outro, mas um pouco maior, no meio da estrada e trouxe-o para casa! agora estamos atratar dele, mas o bichinho parece estar muito em baixo! come a papinha mas está sempre muito quieto e nem bebe água nem nada! Só espero que ele não morra! Pelo menos vou tentar fazer os possíveis por isso!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que agora já existem essas instituições que ajudam numa situação destas. Espero que o bicho se safe.

      Eliminar